quinta-feira, 9 de junho de 2016

IMPERDOADA





Não quero andar pela vida, deixando para trás maus caminhos
Protagonista da escuridão
Não preciso sentir o calor das suas lagrimas nas mãos,
para saber-te vivo...
Sei dos descaminhos
Sei do mal causado
Orgulho, soberba, desamor
Pouco importa o nome
Importa o estrago
Notado somente porque os cães ladraram
Sem retorno, sem consolo, sem perdão

Vera Celms
Licença Creative Commons
IMPERDOADA de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

domingo, 5 de junho de 2016

HISTORIA JÁ CONTADA





O implacável por vir,
Inevitável,
Não havia por e nem pra onde fugir,
Sem saídas, sem atalhos, ou esconderijos
Paisagem desoladora
O fel vinha à boca como a tenebrosa noite
Turva visão de lágrimas
Passos incertos e duros
Pedregoso caminho, despenhadeiro
Solidão sob sangrentos pés
Sem bússola ou biruta
Sem noção ou direção,
Guiados pela fé ...
Sabendo que mesmo sem ver,
a linha de chegada continuava lá
Correr sem parar e sem sentir
Acionado o piloto automático
Minguadas forças,
Esquivando-nos da corda,
do fio da navalha,
Da sentença fatal,
Argumentando verdades pela merecida vitoria
Desabilitar os degraus da forca,
em favor dos degraus do pódio,
e só então o direito ao adormecer...

Vera Celms
Licença Creative Commons
HISTORIA JÁ CONTADA de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.