segunda-feira, 5 de maio de 2014

CINZAS DE MIM





Fim de tarde,
Nada mais posso, que me satisfaça,
A noite se anuncia avassaladora,
Horripilantes sensações
Gritos e urros de dor e desespero,
No chão, repousa meu cadáver
Nada mais posso, nada mais quero,
A não ser acabar com essa dor,
Concentro meus pensamentos
Peço o fim, ao Senhor das Trevas,
Esfacelo-me,
Descarto-me,
Aniquilo-me
Agora é só esperar o fim
Almas e fantasmas,
Todos assistem ao mais horroroso espetáculo
Ao mais temeroso fim
Todos querem e não podem
Rezar, já não sei,
Orar, nunca soube,
Pedir, sem gentilezas, é o que me resta,
Não sei mais chorar,
Não sei mais implorar,
É só esperar que o tempo faça o final
Num instante sou louca, desesperada,
No seguinte, sou lava incandescente,
Cinzas que ficarão pelo caminho
Tudo o que se contará de mim...

Vera Celms
Licença Creative Commons
CINZAS DE MIM de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário