sábado, 19 de abril de 2014

FÊMINO AMOR





Nosso amor foi negado,
E foram décadas de existência,
Mantivemos nosso amor discreto,
Não precisamos impô-lo,
Existir, bastou...
Quatro paredes para intimidades
e o mundo inteiro, muito além delas,
Caminhei ao seu lado, te amei com todas as forças,
Não fui sua dona, e sempre foi minha,
Nada exigi, e me deste tudo,
Nunca a prendi, e sempre esteve tão perto,
Durante uma vida, ficamos por querermos,
Nenhuma palavra que nos obrigasse,
Nenhuma vigília foi necessária
E uma história se fez,
Contada em cada detalhe,
Agora te encontro fria, por sobre a pedra vazia,
Onde foi que acabou a estrada?
Quem foi que te levou?
Ainda que digam os homens de branco,
Não acredito ter entregue a sua vida, à força de suas mãos,
Acreditavas na vida da alma,
Acreditávamos que voltaríamos a nos encontrar,
E agora, o que faço com tanta vida sozinha?
O que faço dos nossos retratos na sala?
O que faço de tanto segredo, já que a ninguém pude contar?
Levo comigo, deixando morrer?
Um único tiro certeiro, e uma arma plantada em sua mão,
Continuarei a habitar nosso ninho,
Cuidando da nossa história,
Talvez a deixe escrita,
Permitindo afinal, que o mundo saiba,
Que juntas, nós duas fomos felizes...

Vera Celms
Licença Creative Commons
FÊMINO AMOR de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário