domingo, 6 de abril de 2014

DOSE EXATA





Frutas amargas também matam a fome
Águas turvas, também matam a sede
O veneno, na dose exata, também é remédio,
A prece, mau proferida, soa a maldição
Pérolas dadas a porcos, viram alimento,
O céu, coberto pela tempestade, perde o azul,
e transforma a calmaria em tormenta,
Quem de nós, diante da agressão, não agride?
Proteção, passa a ser ataque,
Palavras mau ditas, soam malditas...
Desabafo, vira ameaça,
Pessoas viram alvo
Como pólvora comprimida, vira explosivo,
A todos, basta um pavio incendiado,
Ninguém está fora de perigo
É preciso distância segura,
Silencio, também é verdade
Palavras em ouvidos moucos, perdem o sentido
Perdem o poder agressivo
Até o perdão, em corações culpados,
podem significar suicídio...

Vera Celms
Licença Creative Commons
DOSE EXATA de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário