domingo, 9 de março de 2014

COVARDE ANÔNIMO





Frestas, portas entreabertas,
Sombras sinistramente escondidas,
Sumindo ligeiro, atrás de postes, arvores,
Observações vazias,
Acusações levianas,
Intenções difamatórias,
Comentários dispensáveis,
Pessoas deletáveis,
Quem não tem coragem,
ou competência,
copia, espreita, espia...
Desfaz de quem faz...
Quem sabe joga, quem não sabe, vaia...
Tão fácil, rir-se em deboche,
Difícil é saber porquê...
Tão fácil julgar inútil,
Difícil é saber fazer
Se ninguém te chamou aqui,
Se está aqui por procurar,
Saiba que não precisa de convite pra se retirar,
A porta de saída, é a mesma pela qual entrou...
Se resolveu ficar, não se manifeste,
Em silêncio, é mais difícil errar...
E talvez assim, consiga não demonstrar,
SUA IGNORÂNCIA... (já que precisa manter-se anônimo...)

Vera Celms
Licença Creative Commons
COVARDE ANÔNIMO de Vera Celms está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário