domingo, 1 de dezembro de 2013

NA SOMBRA, LUZ





Não quero ser a sombra
Do amor que morreu em lágrimas
Do sacrifício sufocado,
Da voz calada e apagada,
Esganiçada e chorosa,
Do olhar que procura horizonte a fora
E nada encontra, nem ninguém,
Não quero ser o desejo natimorto
Enlutado e triste
Correndo desesperado
Atrás da importância perdida
Não quero ser sombra,
De alguém que assentou-se no meu lugar
Que abraçou aquele a quem eu amava
Que embebedou-se, dos beijos que eram meus
De alguém que chegou como sombra,
Enganando a todos,
Rainha no meu reino; roubado,
Não quero ser sombra,
Na sombra, sou eu a luz...

Vera Celms

Nenhum comentário:

Postar um comentário