domingo, 22 de setembro de 2013

VINGANÇA





Partir sem dizer pra onde
Deixar-te só,
Sonhando com a volta
E não voltar
Partir sem dizer adeus
Perder-me de vista
Sumir...
E um dia virar noticia
Encontrada; morta,
Com pulsos cortados
Sufocada com a própria meia-calça,
Cabeça envolta em saco plástico
Um punhal na mão
Um revolver caído ao lado do corpo
Nenhum bilhete,
Nenhuma pista
Nenhuma chance de contar historia
Fazer-te sentir culpado
Por toda vida,
ou até que a morte nos una novamente...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho VINGANÇA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

2 comentários:

  1. Às vezes temos vontades de partir assim sem deixar um único rastro!
    Um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. Cara Malu, há dias sim, em que gostaríamos de evaporar... sem deixar rastro... obrigado pela visita e pelo comentário... volte sempre, volte mais... beijos de VC

    ResponderExcluir