segunda-feira, 30 de setembro de 2013

DECEPCIONADA





Parada, diante da janela aberta,
Lembrando você
Pensando no que o destino trouxe
Em como escrevemos a historia
Sinto o peito rasgar por dentro
O fel tomar conta da língua
Os sentidos todos irem se transformando
O que era saudade,
foi aos poucos tomando ardência
Inconformada, fui sentindo raiva de você
Sentimento que não conhecia
Afinal preterida, fui trocada,
Por alguém que nunca te amou
Por alguém que não te deu valor
Que nunca te quis
Imagino agora, você em outros braços
Desfrutando de outros abraços
Sua boca sendo beijada
Seu coração batendo mais forte,
por alguém que nunca nem olhou teu coração
Sinto por dentro a magoa
Meus olhos se encherem d´agua
E meu olhar, no horizonte se perder
Aos poucos, sentindo o corpo levitar
E os sentidos fugirem
Parada, diante da janela aberta...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho DECEPCIONADA de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

4 comentários:

  1. Triste e lindo! Um grande abraço!!!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Malu. Beijos, volte mais, volte sempre. Beijos de VC

    ResponderExcluir
  3. Me gusta como tus versos melancólicos reflejan la ternura.

    un abrazo

    fus

    ResponderExcluir
  4. Grata, Fus. Difícil, quem veja ternura na melancolia. Gostei da tua visão. Obrigado, pela visita e pelo comentário. Volte mais, volte sempre. Beijos de VC

    ResponderExcluir