domingo, 12 de maio de 2013

VELHO HOMEM SÓ






Um velho homem,
Solitariamente só,
Oito irmãos partidos
Mãe e pai também idos
Consola-se na paisagem
Que seca mais a cada outono
Filhos, não os teve
Esposa também não
Amigos, poucos leais
Deixaram-no todos
Hoje só alimenta
O amor de uma jovem mulher
Infiel, desleal e fogosa
Formosa Rosa...
Nua pela casa sombria
Onde o velho homem a assiste
Triste...
De dentro de sua impotente visão,
Lembrando ontem
Lamentando o amanhã
Bebendo o hoje pelo gargalo,
Com grandes pedras de memórias
Frias, geladas, amanhecidas,
Jogadas pelo caminho
No seu futuro agora, amor e morte,
O amor da fogosa Rosa,
E um punhal no peito pra fenecer...

Vera Celms

Nenhum comentário:

Postar um comentário