domingo, 24 de fevereiro de 2013

PORTA DO INFERNO





Atrás daquela porta
Tudo é diferente
Não é boa a luz do sol
Ela queima irremediável a pele
O luar não brilha
Faz maior a sombra
Que se esconde na noite
Atrás daquela porta
Uivam os lobos famintos
Perseguindo-nos; as presas,
Mil palavras são mau ditas
Outras tantas maldizem
Ferem e matam
Atrás daquela porta
O sangue escorre invadindo a sala
E o gás penetra a fresta inexorável
Impossível proteger-se aquém da porta
Impossível fugir
Impossível não ver
A porta é só um obstáculo
Imposto
Proposto
Suposto
A única saída para lugar algum
A única entrada de todos os males
O único canal aberto para pedir socorro
Atrás daquela porta
Somente atrás daquela porta...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho PORTA DO INFERNO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário