domingo, 14 de outubro de 2012

CACHECÓIS




Já tive vontade,
de matar e de morrer,

Já tive medo

das duas coisas também,

Hoje ando em paz,

de braço com a nobre anciã

Não me assusta mais

a proximidade,

a visitação,

acho até que já fui consultada,

e respondi sem rodeios,

se hoje tiver de acompanhá-la

vou sem medos, sozinha,

A casa da velha senhora,

deve ser um lugar de aprofundamento,

Reflexão deve ser feita no café da manhã,

No almoço planos,

A tarde descanso na rede do tempo,

E a noite, o sono dos impolutos,

Já, devem temer os culpados;

dizem que estes vêem fantasmas,

aranhas subindo pelas paredes,

insetos voando em torno de suas cabeças,

das lâmpadas, quando houverem,

no chão, cobras impedem o passo,

Os intrigueiros escutam vozes,

Os mentirosos caem em armadilhas,

E os omissos, lá são deixados sós...

Acho que vou comprar mais lã,

pra tricotar cachecóis, com ela...



Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho CACHECÓIS de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.



Nenhum comentário:

Postar um comentário