domingo, 12 de agosto de 2012

SUPLÍCIO OU ESQUECIMENTO?

                                                               foto colhida na Internet

Olhar lá fora e não reconhecer o mundo
Em torno de você, paredes imensas,
Cômodos vazios,
Janelas fechadas não te permitem a luz
O sol não pode entrar
O frio é glacial
Na pele e na alma
O eco é o que de você bate no limite
e volta monstruoso, derrubando a paz
Chorar não resolve
Desesperar-se não adianta
Gritar, ninguém ouviria
Rezar é a única esperança
Perdido no meio de tanto vazio
A sua fé te pergunta quem és
As suas crenças não puderam entrar
Como o sol, que vai se escondendo lentamente
Deitando diante da boca da noite, a bocejar
Em instantes será engolido ou terá dormido
Num lugar como esse, os deuses questionam
Olham sem se deter
Agora é você e o vazio
Não há pra onde correr, nem porquê...
Se observar atentamente
Sentirá o gosto amargo, o torpor,
Das lembranças mais ocultas
Dos pecados inesquecíveis que esqueceu
No meio da escuridão,
Fazem barulho todos os erros,
Todas as culpas pesam
Não há a quem pedir perdão
Por um momento a encruzilhada
O suplicio ou o esquecimento?
Não há como escolher,
Sem razão, sem forças, sem opção,
Só te resta tentar dormir
Torcendo para que seja só mais um pesadelo...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho SUPLÍCIO OU ESQUECIMENTO? de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário