domingo, 29 de abril de 2012

MUNDO DAS SOMBRAS



Novamente tentando dormir
Insone, inquieta, preocupada
Todos os carneirinhos há haviam pulado
Todos os anjos já haviam cansado
E eu continuava acordada
Lembrando de tudo
Imaginando saídas,
Entradas secretas
A penumbra do quarto
A luz indireta do abajur da sala
De repente escuridão
Anoiteceu,
A energia acabou
Entraram todas ao mesmo tempo
Juntas, com barulho de açoites
cortando o ar, em todas as direções
Fechei os olhos
Não conseguia deixar de ouvir
Elas invadiam minhas pálpebras
Enormes, gigantescas
Cheiravam a acido
Ardiam-me as narinas e os olhos
Queimava-me o peito
Nem o travesseiro sobre a cabeça
Impedia-me de ouvir
Não era sonho, nem imaginação
Aquilo estava mesmo acontecendo
Misto de alucinação e pesadelo
Ignoravam minha presença
Passavam através de mim
Podia sentir o contato gélido
Era um frio de morte
Sussurravam coisas
que eu não podia entender
Noite afora, por todo tempo
Aquilo durou tempo demais
E agora, do mundo das sombras
não consigo mais voltar...

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho MUNDO DAS SOMBRAS de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário