segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

NO MEIO DA ESCURIDÃO

Espero você aqui,
Desde que você partiu
Sentada nos cantos do mundo
Escondida no escuro e no vazio
Um lugar para não ser reconhecida
Desde que te vi
Por sobre a fúnebre pedra vazia
Declarando solidão
Desde que entregaste a vida
A força de tuas mãos
Entendi que só o reencontraria
Na mesma porta que usou de saída
Vesti-me de negro
Para que me confundissem com as sombras
Para que fosse, (até que voltasse pra me buscar)
Alguém a se desprezar
Sentei então no canto do mundo
Abracei minha sorte
No topo de meus joelhos dobrados
E deixei que só as lagrimas,
Me dessem algum calor
Só espero que você volte
Senão partirei sozinha
A tua procura, no meio da escuridão

Vera Celms
Licença Creative Commons
O trabalho NO MEIO DA ESCURIDÃO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

4 comentários:

  1. Olá, amiga

    Passei para desejar um ótimo natal e um novo ano cheio de felicidade

    Grande abraço

    Runa

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Belo poema...interessante teu blog também, com os textos profundos e reflexivos. Estou seguindo. Se puder, me segue.

    abs
    http://www.empadinhafrita.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Amado Runa, obrigado... te farei uma visita antes do ANO NOVO... beijos...

    ResponderExcluir
  4. Querida TSU, farei em breve uma visita... Obrigado pela visita e pelo comentário. Um beijo de VC. VOLTE SEMPRE...

    ResponderExcluir