domingo, 4 de dezembro de 2011

CENTRO GÓTICO

Lugar solitário
Onde as coisas mortas
São espadas de si
E atacam-se
E flagelam-se
E buscam a solitude tão mórbida
Caminhos rasteiros rastejantes
Fugidios e sorrateiros
Espreitam, vigiam
Coisas quebradas,
abandonadas pela energia
Plantas mortas
Flores murchas
Barro nas pegadas dos homens
Que fogem rumo ao nada
Entendendo ser a fuga,
o único movimento
Carregando frágeis ilusões nos braços
No peito a dor da esmurrada vida
Já há tanto foragida
Terreno de invertidas forças
Onde o calor brota do chão
Em labaredas consumido
Abrindo-se em valas flamejantes
Sugando, a tudo e a todos
Para o centro,
Só não se sabe de onde...

Vera Celms

Licença Creative Commons
O trabalho CENTRO GÓTICO de Vera Celms foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição - NãoComercial - SemDerivados 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário