domingo, 14 de agosto de 2011

MADRUGADA NAS RUAS

Homem que é homem não chora
Não, homem que é homem,
não acha graça da vida
Seja sóbrio – serio - meu filho, seja sóbrio...
Apaixonado? Isso não é coisa de macho
Não se garante não?
Palavra de homem não volta atrás
Dá moral não...
Deixa que elas corram atrás
Olhai ó!!! Só anda com macho
Daqui a pouco vai dizer que o cara é bonito
Tem é que andar com mulher...
Muita mulhé
Onde já se viu, roupa colorida,
Macho que é macho usa preto, branco e cinza
E isso lá é profissão de hómi?
Da moleza não!!!
Mete a mão...
Toda vez era assim...
O sangue subia, fervia...
Dava um branco, um profundo branco;
Não vi mais nada na minha frente
E quando acordei... a figura já tava aí,
Caído, todo ralado...
Sei lá o que aconteceu...
Não conheço a figura não, cara,
Por aqui? Sempre não... tô sempre sozinho.
Bravo, limpou as mãos e vazou...
Na madrugada com a cabeça sempre a milhão...

Vera Celms

imagem colhida na NET sob título HOMOFOBIA
Licença Creative Commons
A obra MADRUGADA NAS RUAS de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário