domingo, 31 de julho de 2011

O VAGABUNDO E A APAIXONADA

Os olhinhos brilhavam
O coração galopava largo
Difícil controlar a respiração
As mãos suadas se agitavam
Seu corpo inquieto estremecia
Uma flor no cabelo
Uma boneca ainda nas mãos
Com a boca seca, não sabia o que dizer
Da noite ao amanhecer
Pensava nele e um frio tomava seu estômago
Um calor tomava seu peito
Não tinha pernas que a movesse
Paralisada, presa ao chão
Aquilo era demência, não razão
No rastro de seu perfume
A menina levitava, suspirava, transcendia
Aquilo era paixão
E ele, sabedor do que causava
Simplesmente passava
Ela cá suspirava fundo
Pelo belo vagabundo
Sabia que ela o adorava
Mas não podia suportar
Um dia se aproximou
E num beijo, a menina arrebatou
Tomou-lhe um beijo, e o coração levou
No chão, ao lado do menino corpo ensangüentado
Descansava uma faca de cozinha
Descalçou a luva e a rua subiu,
O vagabundo, sumiu!!!

Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra O VAGABUNDO E A APAIXONADA de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário