domingo, 27 de março de 2011

A ROUPA NEM SECOU

Acordar todos os dias

Com o pensamento focado

Na linha do horizonte,

Ao norte,

Poder ver o nascer do sol

E seu poente também

Poder ver a ultima estrela acordada

E a primeira também,

bem no comecinho da noite

Flertar com a Lua

Suar a camisa ao sol

E a noite poder lavá-la

E enquanto a camisa seca no varal

Descansar

Dormir, sonhar, transformar

cansaço em energia

Então Maria,

No começo do dia

Com os olhos já focados

Vai acordar o menino Marcos

Que do seu sono inocente

Já não acorda mais

Frio, inerte, muito pálido

Não conseguiu ver seca no varal

A roupa que o cobriu

E não verá nunca mais


Vera Celms

Licença Creative Commons
A obra A ROUPA NEM SECOU de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

2 comentários:

  1. Há sempre um dia, ou uma noite, em que ficamos presos nos varais do sono...

    Bom fds

    Runa

    ResponderExcluir
  2. Verdade Runa, enquanto voamos pelos ventos dos sonhos... um dia chega o nosso também... beijos

    ResponderExcluir