domingo, 13 de fevereiro de 2011

ATROPELADA

Atendendo a pedido de amigo da vitima deste terrível acidente, vindo de uma pessoa, cuja identidade, entendo, deva ser preservada, estou retirando a foto desta postagem, não postando outra relativa a este assunto.
Deixo aqui registrados, consternada, meus sentimentos, minha solidariedade e meus respeitos a todos os familiares, amigos, colegas e parentes da vitima.
Entendo que a poesia postada não fere os sentimentos, já que foi movida pela comoção gerada por ocorrência de violência urbana (cena pública).
Agradeço a pessoa que me dirigiu o pedido, pelo respeito oferecido.
MEUS SENTIMENTOS...
Oferecerei, no meu blog http;//veracelms.blogspot.com, ainda hoje, uma poesia de solidariedade as pessoas ligadas de qualquer forma a esta VÍTIMA DA VIOLÊNCIA URBANA.

As janelas todas, espiam curiosas

O sangue que escorre na avenida

O corpo caído,

Deitado sobre o asfalto quente,

Logo a frente,

Monstro motorizado,

O ônibus parado,

O motorista desesperado,

anda apressado de um lado para o outro,

Dentro do coletivo todos devem saber,

Alguém deve saber,

O que as janelas dos prédios espiam surdas,

Sobre o asfalto, a trinta e tantos graus de verão,

O corpo inerte talvez nem sinta,

Talvez nem saiba,

Talvez nem tenha percebido o forte impacto,

que pra longe o lançou,

A longa cabeleira da moça,

confusa repousa

no sangue em poça

que aos poucos se alarga,

e do espaço se apossa,

se alastra,

e a todos assusta,

Confirmando a pouca vida,

que talvez por um fio, negue a força,

Talvez pela ausência

já tenha permitido a travessia,

Ao corpo atropelado, inerte,

Que repousa sobre o asfalto quente,

Sob sol de trinta e poucos graus de verão...

Vera Celms


Licença Creative Commons
A obra ATROPELADA de Vera Celms foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.

4 comentários:

  1. Então ouça minha opinião.....De total mau gosto e falta de respeito postar em seu blog uma foto de nossa amiga falecida nesse acidente. Só alguém com muita ausência de bom senso pode conseguir se inspirar poeticamente através do sofrimento alheio. A família e nos amigos estamos indignados com sua falta de humanidade. Seu poema é de péssimo gosto. Tomaremos providências com relação a sua atitude. Pare e reflita sobre como dói ver seu ente querido, falecido, estampado em um blog desconhecido, somente para suprir a vontade de se promover de alguém..no caso você.

    ResponderExcluir
  2. Acabo de receber o email de alguém que dignamente, assinou, cuja identidade achei por bem não revelar, mas que tenho arquivado em minha caixa de entrada de emails. Acabo de retirar a foto, em respeito ao pedido dessa pessoa.
    Em momento algum quis me promover, já que meu blog contempla cenas, ainda que lúgubres, do dia a dia e esta foto foi postada no site de noticias de uma grande emissora.
    Assim que retirei a foto, postei minha retratação, respeitosamente, pela qual respondo RESPEITOSAMENTE.
    Fiz questão de postar o comentário feito.
    Mais uma vez, sinto muito, mas entendo que não ofendo em nenhum momento a ocorrência, lamentavel e triste (da qual me solidarizei no momento em que recebi o pedido) a que podemos assistir todos os dias anônimamente, das janelas de uma grande cidade como S.Paulo.
    Meus respeitos.
    VERA CELMS

    ResponderExcluir
  3. RICARDO HENRIQUE BORGES COUTO

    Boa tarde,
    faço questão de me identificar devido à toda essa situação que se deu.

    Sou eu a pessoa que entrou em contato via email, à qual a Vera se refere.

    Entrei em contato com a Vera no dia 17 de Fevereiro de 2011, lhe fazendo um pedido para que retirasse a foto de seu blog, tendo em vista que muitos de nós, nos sentimos ofendidos com a postagem.

    A Vera, dona do Blog, caridosamente se mobilizou e retirou a foto.
    Atitude à qual devo imenso agradecimento,
    pois muitos talvez não a teriam feito.

    Aproveitando Vera,
    deixo meus agradecimentos pela sua atitude e pela poesia, à qual entendo que não fere sentimentos e sim, mostra uma mobilização, uma revolta, de sua parte, para com a violência urbana, como você definiu,
    assim como há da minha parte também.

    Encaro essa poesia como uma homenagem.
    Portanto, não tenho do que reclamar.

    Quanto à postagem acima, entendo que foi precipitada e de certa forma desrespeitosa.
    Assim como Vera atendeu nosso pedido caridosamente, creio que o autor da postagem que preferiu não se identificar, deva ao menos um pedido de desculpa.

    A Vera me enviou por email um pedido de desculpas e solicitou que eu repassasse a todos que se sentiram ofendidos com a postagem.

    Como o dono do comentário não se identificou, não tenho como lhe enviar o email.

    Se puder, se achar que deve, favor se identificar, e lhe encaminharei o email que a Vera me enviou, demonstrando seu bom senso e sua humanidade através de um sincero pedido de desculpas.

    Obrigado novamente Vera.
    Sds,

    Ricardo H.B. Couto

    ResponderExcluir
  4. Caríssimo Ricardo,
    Não tenho nem o que dizer depois de tamanha demonstração de respeito, educação e entendimento.
    Quem se levanta em reverencia, tenha certeza, sou eu para você.
    Obrigado pela atenção, pela observação do meu trabalho, pelo destaque da sua apreciação.
    Verdadeiramente, respondi a você no blog e não pretendi e nem pretendo responder a agressividade e nem é necessário que esta pessoa se desculpe. Posso compreender, sem nenhuma dificuldade, o sentimento que a tomou naquele momento. Acho que não teria sido diferente caso fosse comigo.
    Foi uma terrível coincidência, ser lida por alguém que conhecia a vítima, além de já seguir o blog (blog identificado no comentário, cuja identidade preservarei).
    Como pode notar, este blog é focado em assuntos lúgubres. Encaro a morte de uma forma muito natural, sem essa curiosidade mórbida que move um grande número de pessoas. As imagens são meramente elucidativas e não procuram atingir os sentimentos ou a sensibiidade das pessoas de forma negativa.
    Agradeço mais uma vez por ter me contatado, tão educadamente. Espero encontrar mais pessoas como você ao longo do meu trabalho e pecar menos no futuro.
    UM GRANDE E FORTE ABRAÇO RICARDO, OBRIGADO MAIS UMA VEZ. Estarei sempre a disposição.

    ResponderExcluir