domingo, 27 de junho de 2010

OLHOS FECHADOS


Fecho os olhos,

Pra não ver o vazio,

A espaço entre o sol e a lua,

A distância entre as paredes do meu quarto

E me lanço anonimamente

Num mundo desconhecido,

Que sonho todos os dias,

Não sei onde vou dar,

Nem onde, nem se vou sair,

Fecho os olhos e me atiro

No pouco escuro

No pouco silencio

Solidão habitada,

Por outros mundos,

Por tantos personagens

Que não conheço,

Que não vejo

Mas que tremem minhas pálpebras,

Como a um varal de sonhos,

Sons estridentes não me deixam ir longe,

Não me permitem ficar tanto tempo,

Vontade de ficar no infinito,

Acoplada por um único fio,

Aquele que não me desliga da realidade,

Flutuando, como no ventre,

Vontade de me lançar a eternidade

Mas, há tanto por fazer ainda...

Melhor ficar...

De olhos fechados.


Vera Celms


domingo, 20 de junho de 2010

ESTOU MORTA?


Sonho acordada,

Com algo que não vejo em vida,

Olhos esbugalhados,

Dentes serrados,

Faces deformadas

Gritos, muitos gritos,

Gemidos animais,

Urros de dor,

A sombra da morte,

Eternas tempestades,

Raios e trovões,

Lugares sombrios e úmidos,

Ruídos assustadores,

O horror espalhado no ar,

Fuga, medo, perigo,

Lições aprendidas a duras penas,

Avisos, pressentimentos,

Interdições,

Paisagens veladas,

Ressentimentos, mágoas,

Corpos abandonados, sem vida,

Valas, lama, caminhos estreitos,

Noite infindável,

E você acorda de um pesadelo...


Vera Celms


domingo, 13 de junho de 2010

PAREI...


Se está lendo isso,

creia, meu barco naufragou,

foi a pique...

O vento passou,

Rodou e levou,

Derrubou tudo

Sonhos, planos e frutos,

Fiquei, de repente, sem ar,

Sem horizonte,

Sem visão e sem sensação...

Sem sudorese ou arrepio,

Sem vontade e sem passagem,

O céu fechou,

Meus membros foram atados,

A porteira trancou por fora,

O meu reino foi destronado,

Meus deuses foram deturpados,

Meus olhos arrancados,

Minhas vísceras foram extirpadas,

Minha alma escapou boca a fora,

Meu chão desapareceu,

Minha fé não tem sido vista,

Conheci enfim,

Uma experiência de quase morte,

Desisti... de tudo,

Agora, volta pra mim?

Vera Celms